Depressão

Depressão é uma desordem psiquiátrica muito mais frequente do que se imagina. Estudos recentes mostram que 10% a 35% das pessoas apresentam sintomas dessa enfermidade.

Para caracterizar o diagnóstico de depressão, foi criada a tabela descrita abaixo. Nela, cinco ou mais dos sintomas relacionados devem estar presentes para que se caracterize o diagnóstico da depressão. Dentre estes, um é obrigatório: estado deprimido ou falta de motivação para as tarefas diárias, há pelo menos duas semanas.

Critérios para diagnóstico de depressão

(segundo o DSM-IV, Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 4ª edição)

  • Estado deprimido: sentir-se desmotivado a maior parte do tempo;

  • Isolamento: dificuldades em se integrar a grupos ou com outros indivíduos;

  • Anedônia: interesse diminuído ou perda de prazer para realizar as atividades de rotina;

  • Sensação de inutilidade ou culpa excessiva;

  • Dificuldade de concentração: habilidade frequentemente diminuída para pensar e concentrar-se;

  • Fadiga ou perda de energia;

  • Distúrbios do sono: insônia ou hipersônia praticamente diárias;

  • Problemas psicomotores: agitação ou retardo psicomotor;

  • Perda ou ganho significativo de peso, na ausência de regime alimentar;

  • Idéias recorrentes de morte ou suicídio.

De acordo com o número de itens respondidos afirmativamente, o estado depressivo pode ser classificado em três grupos:

  • Depressão menor (leve): 2 a 4 sintomas por duas ou mais semanas, incluindo estado deprimido ou anedônia;

  • Distimia (moderada): 3 ou 4 sintomas, incluindo estado deprimido, durante dois anos, no mínimo;

  • Depressão maior (grave): 5 ou mais sintomas por duas semanas ou mais, incluindo estado deprimido ou anedônia.

Os sintomas da depressão interferem drasticamente na qualidade de vida e estão associados a altos custos sociais: perda de dias no trabalho, atendimento médico, medicamentos e suicídio. Pelo menos 60% das pessoas que se suicidam apresentavam sintomas característicos da doença.

Fatores de risco para depressão:
  • Histórico familiar;

  • Problemas na área da Sexualidade;

  • Questões relacionadas à idade;

  • Situações ligadas à pressão social;

  • Episódios anteriores de depressão;

  • Parto recente;

  • Acontecimentos estressantes;

  • Dependência de drogas;

  • Crenças negativas.

O número de casos de depressão entre mulheres é o dobro dos homens. Não se sabe se a diferença é devida a pressões sociais, a diferenças psicológicas ou ambas. A vulnerabilidade feminina é maior no período pós-parto: cerca de 15% das mulheres relatam sintomas de depressão nos seis meses que se seguem ao nascimento de um filho.

A doença é recorrente. Os que já tiveram um episódio de depressão no passado apresentam 50% de risco de repeti-lo. Se já ocorreram dois, a probabilidade de recidiva pode chegar a 90%; e se tiverem sido três episódios, a probabilidade de acontecer o quarto ultrapassa 90%.

Como se sabe, os quadros de depressão podem ser disparados por problemas psicossociais, como a perda de uma pessoa querida, do emprego ou o final de uma relação amorosa. No entanto, até um terço dos casos estão associados a condições médicas.

Diversos medicamentos de uso continuado podem provocar quadros depressivos. Entre eles estão os anti-hipertensivos (para pressão alta), as anfetaminas (incluídas em diversas fórmulas para controlar o apetite), os benzodiazepínicos, as drogas para tratamento de gastrites e úlceras (cimetidina e ranitidina), os contraceptivos orais, cocaína, álcool, anti-inflamatórios e derivados da cortisona.

A Terapêutica Tântrica, aplicada em sessões individuais ajudam a controlar casos leves ou moderados de depressão. O Método Deva Nishok,  oferece a vantagem de não empregar medicamentos e diminuir o risco de recidiva do quadro, uma vez que a pessoa aprende a utilizar-se de alguns recursos para reconhecer e lidar com os problemas relacionados com a depressão.

Casos de depressão grave ou severa devem ser direcionados a atendimentos individuais. Não recomendamos os trabalhos em grupo até que a pessoa desenvolva um suporte emocional capaz de sustentar a sua participação nas dinâmicas propostas no trabalho. Não recomendamos a retirada abrupta de medicamentos, em hipótese alguma, sem o devido acompanhamento médico.

Fonte: https://sadhanacomunna.org/terapeutica-tantrica/depressao (acesso 06/02/20019)

Agenda

Terapeuta residente em Goiânia/Brasília,

Atendimentos em todo Brasil,
entre em contato para saber mais.

Disponibilidade de atendimentos diários/semanais em todo Brasil.

Entre em Contato

Entre em contato para saber mais

e solicitar um atendimento

stclairaraujo@gmail.com

      +55 62 98604-7193 

Shivaram ©2019 todos os direitos reservados.

  • wwp
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle